segunda-feira, maio 16, 2005

Fascínios arquitectónicos 2#

Faróis

Outra fantasia que me povoa a imaginação, desde que me conheço, e já lá vai muito tempo, era viver num Farol.
Poder morar numa casa até ao céu.
Um farol avermelhado, todo em ferro, pedra antiga e vidro. Gingante. Especialmente silencioso em dias de tempestade, em que o mar zangado lança as suas ondas contra o pontão onde se ergue o farol.
Um farol sobranceiro à praia Um verdadeiro monumento//lar e melhor que tudo, minha morada.
Lá dentro os espaços são sempre limitados pelas janelas, pelas colunas, mas labirínticos e apaixonantes, quentes, altos, silenciosos, quase mágicos, porque neles habita o espírito do mar.
Há uma lareira enorme que se repete na cozinha, nas salas, no escritório. O calor do fogo funde-se com a escuridão do céu e com o ferro avermelhado. Não se move ninguém em silêncio dentro do farol, os passos ecoam até à torre.
Lá em cima a companhia das gaivotas e das andorinhas é permanente.

5 Comments:

Blogger jota said...

a mim os faróis vêm dos tempos em que lia Os Cinco e as suas aventuras... aventuras em ilhas, perigos no bosque de noite, e um cachorro chamado Ziguezague.

12:50 da tarde  
Anonymous donadoblog said...

Ora e de onde pensas tu que me vem esta paixão pelos faróis??? Pois claro está que tem como base as aventuras dos Cinco, a série na TV, as tardes que passei a imaginar-me parte daquele grupo sempre tão animado e com vidas tão emocionantes :-)

Acho que a nossa geração partilha este fascínio.

1:01 da tarde  
Blogger chalabi red said...

Qual geração ? Sabes por acaso , de quando são os livros dos Cinco ? A autora nasceu em 1897 e o 1º livro dessa série é de 1942.

1:53 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

ehehehehe :-)

pois tens razão, assim sendo é um prazer alargado a muitas gerações anteriores à minha... e com isto quero dizer também à tua.... (cofff cofff)

6:11 da tarde  
Blogger jota said...

Este comentário foi removido pelo autor.

7:14 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home