terça-feira, novembro 16, 2004

Livraria(s)

Apetecia-me abrir, montar, criar, gerir, ter uma livraria. Uma livraria imaginada ao pormenor, um refugio com muitos livros, um cantinho para ler em silêncio ou ao som de músicas criteriosamente escolhidas. Livros bem arrumados, apelativos, sedutores. Sofás fofos, convidativos, vermelhos, onde os meus compradores/clientes/convidados pudessem folhear calmamente um e outro e mais outro livro. Pudessem encontrar os jornais, algumas revistas, desenhos, aguarelas, óleos, azulejos e artesanato. Neste espaço seria criado o território dos mais pequeninos, com muita cor e luz, existiria também o sítio da música, serviria chá e bolos quando houvesse livros novos para conhecer. Nesta livraria as pessoas seriam simpáticas e apeteceria voltar sempre, muitas vezes. Apeteceria cheirar os livros, prende-los nas nossas estantes, sentir as histórias. Na livraria dos meus sonhos nasceriam pinturas nas paredes, estantes altas e vida.
Esta livraria existe em Aveiro. Não é minha. AINDA. fica mesmo ao lado do Teatro Aveirense merece uma visita, e mais outra, tantas….

5 Comments:

Blogger jota said...

Este comentário foi removido pelo autor.

2:19 da manhã  
Blogger dona do blog said...

Eu sei como se chama. Até o nome é fantástico. Mas como não me pagaram pela publicidade...

9:41 da manhã  
Blogger jota said...

não? deram-te chá e bolinhos de amêndoa no fim-de-semana. e o deleite ocular e sensório!

9:03 da tarde  
Blogger chalabi red said...

O navio de espelhos não navega , cavalga
O seu mar é a floresta que lhe serve de nível
Ao crepúsculo espelha sol e lua nos flancos
Por isso o tempo gosta de deitar-se com ele

2:39 da tarde  
Blogger chalabi red said...

os versos são do Mário Cesarinny , claro .

4:27 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home