terça-feira, setembro 14, 2004

Fui ver o filme “Nathalie”.
Longo, francês, forte, humano, principalmente humano. Vive das personagens, foca-nos, prende-nos nas suas emoções, à boa maneira francesa. Um filme erótico em que não vi cenas de sexo, em que tudo fica por ver, onde a palavra e as descrições preenchem o ecrã na íntegra.A História de Catherine, Bernard e Nathalie traduz distâncias, silêncios e omissões difíceis de explicar. Uma relação a dois onde se perdeu a cumplicidade, a proximidade e é através do afastamento e da libertação que Catherine vai reconquistar a intimidade com o seu marido. É por uma terceira pessoa que vai conhecê-lo melhor, saber como reage e o que o excita, preenchendo desta forma o vazio entre os dois.No final, foram os actores que retive na memória, à saída foi a suave banda sonora elaborada por Michael Nyman que me ficou no ouvido.A última cena deixou-me acreditar na mudança dos destinos dos protagonistas, mas fiquei sem certezas.
Era capaz de o voltar a ver!

3 Comments:

Blogger jota said...

Este comentário foi removido pelo autor.

11:16 da tarde  
Blogger chalabi red said...

gostei do que li , e as palavras coloridas são uma ideia engraçada .

11:11 da manhã  
Blogger dona do blog said...

Agradeço o elogio :) e as cores, mais não são que o espelho da minha alma EU SOU DE FACTO O ARCO-IRIS!!!! GOSTO DE TODAS, todas, mas o vermelho é de longe a que ganha mais pontos.... conquista-me, quase todos os dias....

11:28 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home